Vermicompostagem – Utilização de resíduos de videira e esterco de coelho

13 de maio de 2019
Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

No geral, a vermicompostagem é realizada utilizando estercos. Por outro lado, pode-se, produzir húmus a partir de qualquer resíduo animal ou vegetal e utilizá-los na agricultura. A composição dos estercos é variável, no entanto, influenciada por vários fatores como a espécie animal, a raça, a idade, a alimentação, o material utilizado como cama, o tratamento dado à matéria-prima esterco, além de outros mais (MORSELLI, 2000).

Minhocas californianas saindo do ovo

O êxito do manejo do solo está no conhecimento das relações que existem entre ele e o meio ambiente, onde, de acordo com a utilização de técnicas adequadas pode proporcionar um equilíbrio capaz de permitir o seu uso continuamente (HUBER et al., 2012). Sob o mesmo ponto de vista, utilizamos resíduos gerados pela agroindústria vinícola da região da Campanha,  cacho de videira triturado e aproveitamos esterco de coelhos das criações de produtores da região, para avaliação da multiplicação de minhocas de Eisenia foetida em estação fria, no processo da vermicompostagem. Em suma, os cachos de videira triturado com níveis de 50% foi o melhor resultado para o aumento da população e acasalamento das minhocas californianas em estação fria no Sul do Rio Grande do Sul.

Ovinho de minhocas californianas

Podemos concluir então que  podemos aproveitar o esterco de coelho e os cachos da videiras descartados na produção de vinho para multiplicação de minhocas californianas, diminuindo os problemas ambientais gerados pelo descarte indevido desses resíduos.

húmus com minhocas californianas

Enfim, agradecemos por estarem conosco nesta leitura e, de antemão, deixamos a indicação de outro super texto sob o mesmo ponto de vista da necessidade de se fazer compostagem como forma de tratamento dos resíduos sólidos.
Leia também o texto similarmente a este assunto:

Viabilidade da utilização dos resíduos de vinícolas como fonte de enriquecimento da constituição química do vermicomposto e produção de mudas de alface.

 

Antes de mais nada, agradecemos a contribuição da Profª. Drª. Engª. Agrª. do Curso de Agronomia

Autora:

Em primeiro lugar:

Ana Cláudia Kalil Huber

Bem como:

Editora-chefe da Editora da Urcamp- EDIURCAMP
https://site.urcamp.edu.br/pesquisa-e-extensao/ediurcamp

Do mesmo modo:

Editora da Revista Científica Rural – RCR
http://revista.urcamp.tche.br/index.php/rcr
URCAMP, Bagé, RS

 

Endereço CV: http://lattes.cnpq.br/5467686758227355
Orcid: https://orcid.org/0000-0002-8215-3371?lang=en

HUBER, A. C. K. et al. Utilização de resíduos das vinícolas da região da campanha na produção de vermicomposto. IX REUNIÃO SUL-BRASILEIRA DE CIÊNCIA DO SOLO, Lages, SC. 2012.

MORSELLI, T.B.A. Vermicultura e Vermicompostos – Processo e aplicações. Projeto apresentado no Curso de Pós-graduação em Agronomia – Área Produção Vegetal. Exame de Qualificação. 2000.70p.

COMPARTILHE
Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

MINHA CONTA