Aplicabilidade dos resíduos das indústrias de laticínios na agricultura

24 de junho de 2021
Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Antes de mais nada,O que são Laticínios?

Em suma, os laticínios são definidos como qualquer produto alimentício que apresente como principal constituinte o leite natural,do mesmo modo que outros subprodutos (derivados). Antes de mais nada, o processo de transformação da matéria-prima (leite), acontece nas produtoras manufaturadas que são empresas responsáveis por modificar a matéria-prima, de modo a conseguir outros derivados, por exemplo: leite desnatado e o pasteurizado;assim também como queijo; creme; do mesmo modo que a manteiga; assim também no leite condensado; bebidas fermentadas, enfim, uma infinidades de alimentos (SANTOS; SANTOS, 2016).

Impactos ambientais dos Laticínios

Quanto aos impactos ambientais oriundos das etapas de produção e tratamento dos laticínios, em outras palavras, são adversos e podem afetar a água, solo e ar das mais variadas formas. Logo, a geração de resíduos sólidos desta atividade agroindustrial, varia conforme a composição e volume dos produtos derivados, associados aos hábitos de consumo da população e métodos de produção aplicados.

Resíduos Gerados na indústria de laticínios

Em relação aos resíduos sólidos gerados no setor de produção, Rabelo (2016), realizou pesquisa acerca da implantação de um Sistema de Gestão Ambiental (SGA) em uma indústria de laticínios e concluiu que resíduos de carvão e cinzas gerados nas caldeiras alimentadas por madeira de eucalipto (lenha), em suma, podem ser destinados para adubação orgânica em pastagens utilizadas na alimentação de bovinos leiteiros.

Tratamento dos resíduos de laticínios

Outra forma de aplicação dos resíduos sólidos está na reutilização do lodo (Figura 1) gerado nas Estações de Tratamento de Esgoto (ETE), acima de tudo, para o uso em solos agrícolas e florestais. Isto se deve porque ele possui em sua composição, nitrogênio (N) e fósforo (P), bem como outros nutrientes essenciais e benéficos para as plantas (LOPES et al., 2005).

Figura 1: Estação de Tratamento de efluentes de indústrias de laticínios.

Fonte: Ferreira (2013)

 

 

Posteriormente, em pesquisa feita por Dias et al. (2017), que consiste na análise da utilização do lodo com as cinzas e serragens descartadas de caldeiras, estes autores, em suma, verificaram que a mistura destes resíduos, além disso, são ricos em matéria orgânica e em nutrientes, sendo utilizados como fertilizantes, e pode ser aplicado na recuperação de áreas degradas, bem como pastagens e em cultivos agrícolas.

Benefícios do Fertilizante

Enfim, quanto aos benefícios do uso desses fertilizantes, Rodrigues et al. (2016) concluíram que o lodo apresenta a mesma eficiência no crescimento de plantas quando comparado com os fertilizantes químicos (NPK) em cultivos de milho, já que a altura das plantas e massa das raízes não se modificaram entre ambos os tratamentos.

Compostagem no tratamento dos resíduos de laticínios

Ainda sobre os métodos de tratamento e aplicação do lodo, Pedroso (2019) assim verificou que a compostagem é uma maneira eficiente para o tratamento do lodo, produzido nas ETE´s, ao mesmo tempo com a adição de restos de galhos, folhas e restos de alimentos ao lodo, em síntese, ocorreu a redução de peso e volume do efluente gerado em um período de 33 dias.

Portanto, a expansão do setor industrial abre novas oportunidades para as demandas socioeconômicas, porém, traz consigo problemáticas ambientais cada vez mais consistentes e frequentes. Portanto, estes impactos, quando não controlados e monitorados adequadamente, propiciam diversos aspectos negativos para o meio ambiente, e consequentemente, para a sociedade.

Enfim

Em suma as referências

DIAS, O. A.; AGUIAR, F. S.; SILVA, T. P. C.; VELOSO, V. H. S.; LIMA, P. A. C. Lodos de indústrias de laticínios: requisitos para disposição no solo. In: IX SIMPÓSIO BRASILEIRO DE ENGENHARIA AMBIENTAL, 7., 2017. Belo Horizonte. Anais… Belo Horizonte: UFMG, 2017, p. 23-33.

FERREIRA, L. P. J. Resíduos sólidos e líquidos gerados em um laticínio: estudo de caso do laticínio Glorioso no município de Corumbá de Goiás. RBCIAMB, Rio de Janeiro, v. 30, n. 7, p. 2-23, 2013.

LOPES, J. C.; RIBEIRO, L. G.; ARAÚJO, M. G.; BERALDO, M. R. B. S. Produção de alface com doses de lodo de esgoto. Horticultura Brasileira, Brasília, v. 23, n.1, p. 143-147, 2005.

PEDROSO, R. S. Uso da compostagem na recuperação de resíduos de laticínios. Dissertação (Mestrado em Conservação de Recursos Naturais do Cerrado) – Instituto Federal Goiano, Campus Urutaí, GO, 2019. Em conclusão

RABELO, W. A. Implantação de Sistema de Gestão Ambiental em uma indústria de laticínio. In: XIX CONGRESSO BRASILEIRO DE ÁGUAS SUBTERRÂNEAS, 31., 2016. São Paulo. Anais 2016: XIX Congresso Brasileiro de Águas Subterrâneas. São Paulo, SP, 2016.

RODRIGUES, A.C.; BAUM, C. A.; FORMENTINI, J.; SCHMACHTENBERG, N.; TREVISAN, G. M.; SILVA, A. C. G. Avaliação de Processo de Compostagem utilizando o lodo de estação de tratamento de efluentes de laticínios. Revista Ciência e Natura, Santa Maria, v. 38, n. 2, p. 610-619, 2016.

SANTOS, J.; SANTOS, R. Impactos socioeconômicos e ambientais do laticínio esperança. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (grau de Tecnólogo em Laticínios). Instituto Federal de Sergipe, Nossa Senhora da Glória, SE, 2016.

Enfim, os Autores:

Primeiramente:

Gabriela Brito de Souza: Em primeiro lugar, Graduanda em Engenharia Ambiental e Sanitária pela Universidade do Estado do Pará (UEPA). Campus VI. Atua como estagiária do Laboratório de Qualidade Ambiental na UEPA, assim também, bolsista no Projeto de Iniciação Científica. Paragominas, Pará.

Assim, segue endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/8924380772593328

Da mesma forma:

Nayra de Lima Ferreira: Em primeiro lugar Graduanda em Engenharia Ambiental e Sanitária pela Universidade do Estado do Pará (UEPA), Campus VI. Igualmente atua como Monitora do Laboratório de Qualidade Ambiental na UEPA. Paragominas, Pará.

Dessa forma, segue endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/0410500816803190

Igualmente:

Antônio Pereira Júnior: Antes de mais nada, Biólogo, Especialista em planejamento e Gerenciamento de águas,  Especialista em Gestão Hídrica e Ambiental, além disso Mestre em Ciências Ambientais, além disso, Coordenador do Laboratório da Qualidade Ambiental da Universidade do Estado do Pará (UEPA) Campus VI. Paragominas, Pará.

Igualmente segue endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/3239362677711162

Em conclusão

Dessa forma agradecemos a sua presença conosco e não deixe de visitar nosso Blog frequentemente para se manter informado, bem como nos seguir nas redes sociais, desde já, agradecemos.

Enfim, grande abraço.

COMPARTILHE
Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

MINHA CONTA